Viagem Cultural

Dicas e opiniões sobre assuntos diversos.

O RICO, O CAMELO E A AGULHA

camelo

Recentemente a revista Forbes publicou uma matéria intitulada “Os mais ricos pastores no Brasil”. Os seis primeiros da lista são: Edir Macedo da Igreja Universal do Reino de Deus (950 milhões de dólares), Valdemiro Santiago da Igreja Mundial do Poder de Deus (220 milhões de dólares), Silas Malafaia da Assembléia de Deus (150 milhões de dólares),  Romildo Ribeiro Soares, ou somente RR Soares da Igreja Internacional da Graça de Deus (125 milhões de dólares) e o casal Estevão Hernandes Filho e Sônia Hernandes da Igreja Renascer em Cristo (65 milhões de dólares).

fonte: http://www.forbes.com/sites/andersonantunes/2013/01/17/the-richest-pastors-in-brazil/

Não existe nenhum problema em um líder religioso ser próspero. O que chama a atenção é o fato de coincidentemente(?) serem os mesmos que disputam a audiência nas redes de televisão e pregam a doutrina da prosperidade, como a maioria das igrejas neopentecostais.

Algumas igrejas mais tradicionais, como as batistas e presbiterianas, fazem reuniões mensais, onde os membros participantes da igreja são informados do valor que foi arrecadado durante o mês, e definem qual destino que será dado a esse dinheiro. O salário do pastor, por exemplo, é decidido pelos membros da igreja, em uma reunião sem a presença do mesmo. Já nessas igrejas neopentecostais, os fiéis normalmente não sabem qual o valor que é arrecadado através das ofertas, dízimos e vendas de produtos. Somente os líderes sabem quanto foi arrecadado, qual destino será dado a esse montante e os fies normalmente são chamados somente para pagarem a conta.

É muito comum vermos nessas igrejas os líderes pedindo uma “oferta de amor”, onde chega-se ao ponto de se pedir um valor fixo para ser ofertado (já vi alguns pedirem R$ 1.000,00). Hoje a oferta da viúva pobre do livro de Marcos 12:41-44 não teria valor algum nesse tipo de igreja.

A prosperidade sem dúvida alcançou os líderes das igrejas,e porém, para que o fiel consiga uma benção é necessário haver contribuição financeira. O pior é que o nome de Jesus já não é mais o suficiente para que uma cura seja efetuada. A fé que antes poderia mover montanhas, agora deve vir acompanhada de toalhinhas, fronhas, sabonetes, rosas, mini colunas, água do rio Jordão, e qualquer outra coisa que a mente criativa dos líderes religiosos acharem necessário.  A fé é materializada nesses objetos e o nome de Jesus passa a ser somente um detalhe, muitas vezes obsoleto (“E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.” Marcos 16:17,18).

O fiel desesperado em busca da solução de seu problema acaba contribuindo. E se o problema é resolvido os créditos são da denominação em questão, que aproveita o fato para usa-lo como propaganda.

A igreja evangélica atual se tornou um espelho da igreja católica na época medieval. O que era indulgência virou “oferta de amor”, os santos de barro tomaram a forma de lencinhos, rosas, fronha, etc., a influência política tem crescido cada vez mais com candidatos apoiados pelas igrejas evangélicas e até uma bancada evangélica já existe. O controle sobre os meios de comunicação também tem aumentado. Algumas igrejas já possuem concessão de canais de televisão, outras alugam horários nas maiores redes de televisão do país.

Bons tempos aqueles em que Jesus, e somente Ele, curava os leprosos e ao invés de fazer “propaganda” e “cobrar” que a cura fosse feita por causa de uma oferta dizia: “Olha, não digas nada a ninguém; mas vai, mostra-te ao sacerdote e oferece pela tua purificação o que Moisés determinou, para servir de testemunho ao povo”. Marcos 1:44

E também ao contrário das palavras de Jesus acima, que mandou o leproso se apresentar ao sacerdote, hoje a benção só é válida se for feita em uma igreja específica. Se alguém não foi curado antes é porque frequentava outra igreja ou denominação. Se é curado agora é porque passou a frequentar a igreja certa. É importante fazer o fiel frequentar a igreja pois quanto mais pessoas frequentando, maior a contribuição. E as críticas que um líder faz abertamente a outro é simplesmente vergonhosa. Mas no final das pregações, sempre falam em amor. Irônico!

O nepotismo também faz parte dessas igrejas. Como se não bastasse o seu líder ser a pessoa “escolhida” por Deus, sua esposa também recebeu o “chamado”. Os filhos normalmente também fazem parte da “geração eleita”. Alguns apresentam os programas de televisão mesmo existindo jornalistas formados que frequentam a igreja e que não tem oportunidade, gravam CD’s mesmo não tendo a menor noção de música, e são preparados para “assumir” o lugar dos pais no comando das igrejas. A fé agora passou a ser hereditária.

Enfim, não quero julgar nem a fé e nem a atitude de ninguém, mas fico com as palavras de Jesus em Marcos 10:25:

É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus”.

* Camelo era o nome dado a uma corda grossa usada para amarrar navios na época de Jesus.

Anúncios

02/02/2013 - Posted by | Religião | , , , , , , , , ,

1 Comentário »

  1. É lamentável, Ofensivo. Doloroso.
    Esses pastores perderam a noção do que seja EVANGELHO, palavra grega que significa, BOAS NOVAS. As Boas Novas do plano de salvação. As boas Novas de que Jesus veio para nos SALVAR da morte eterna, pois só em Cristo temos a vida eterna.

    Hoje, a Cristandade virou comércio. Os pastores mercadejam a PALAVRA. Concorrem entre sí pelo poder Maior. Quem contruirá a maior igreja?

    No programa da Marília Gabriela, ao ser entrevistado, Malafaia não consegue esconder seu temperamento colérico, como sempre não deixando-a falar e aos berros tentando prevalecer.
    Ele não esconde mais sua verdadeira natureza, LOBO em pele de Cordeiro.
    Meu consolo esta em Filipenses 1:15-18 que diz:

    ” É verdade, contudo, que alguns proclamam a Cristo
    por inveja e rivalidade, porém outros o fazem com boas intenções.
    Mas aqueles outros, anunciam Cristo por ambição egoísta, sem sinceridade, imaginando que podem aumentar o sofrimento 0casionado por minhas algemas.
    TODAVIA O QUE IMPORTA?
    O importante é que de qualquer maneira, seja por motivos escusos ou nobres, CRISTO esta sendo proclamado, e por isso me alegro. Em verdade sempre me alegrarei!

    E EU, TAMBÉM.

    Comentário por Leila | 17/02/2013 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: