Viagem Cultural

Dicas e opiniões sobre assuntos diversos.

A GUARDA DO SÁBADO

IMG_20150713_151855166_HDR

 

Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra, mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus: não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou: portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou.
Êxodo 20:8-11

Um dos assuntos que mais dividem a opinião dos cristãos, principalmente os evangélicos, é a guarda do sábado.

Existem grupos que defendem que o sábado deve ser o dia do descanso, pois é o que consta nos 10 mandamentos. Outros dizem que essa lei foi dada especificamente para os judeus daquela época, e adotaram o domingo como sendo o dia de descanso.

Entre os que defendem a guarda do sábado a Igreja Adventistas do Sétimo Dia é sem dúvida o maior grupo. Eles se baseiam principalmente no texto de Êxodo 20:8-11, e em Gênesis 2:2 “E havendo Deus acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito”. Ou seja, se Deus descansou no sétimo dia nos dando esse exemplo, devendo também descansar.
Já ouvi alguns adventistas dizerem que se for um trabalho necessário como um médico, bombeiro, policial, eles podem trabalhar aos sábados. Já o que não for essencial não deve ser feito. Também é bom ressaltar que eles nunca disseram que quem não guarda o sábado não será salvo, mas somente estão observando o que diz a lei.

Os católicos são os principais representantes do grupo que trocou o sábado pelo domingo. Eles se afastaram da guarda do sábado logo no início do cristianismo, seguindo um decreto do Imperador Romano Constantino em 321 que estabelece que todos no império deveriam descansar aos domingos, o dia do sol. Apesar de não ter sido um decreto religioso, o Concílio de Nicéia em 325 adotou o domingo como dia de descanso para os católicos.
Eles também defendem a guarda do domingo baseando-se no fato de que Jesus ressuscitou em um domingo, e que não estamos mais debaixo da lei, mas da graça, por isso não precisamos guardar os mandamentos da lei.
Talvez esse seja um dos poucos pontos onde católicos e evangélicos concordam, seja por convicção ou comodismo. A maioria dos evangélicos também guarda o domingo ao invés do sábado.

Mas nem os católicos e nem os evangélicos fazem a guarda de verdade. Ambos trabalham se for preciso sem nenhum problema de estar infringindo algum mandamento de sua religião, ao contrário dos Adventistas, que até o café da manhã eles preparam na sexta, por não acharem certo fazer esse “trabalho” no sábado, dia de descanso.

Independente de guardar ou não, é preciso observar que Deus não mandou guardar o dia da semana chamado sábado, mas sim o sétimo dia.
A palavra sábado vem do hebraico shabat e significa descanso. Claro que tem esse nome exatamente porque era o dia de descanso para os judeus.

Para os romanos o sábado era o dia consagrado a Saturno, deus do tempo, dai vem a origem do nome em inglês “Saturday” (dia de saturno).

O fato é que mesmo Jesus tendo feito uma nova aliança conosco não quer dizer que ele tenha acabado com os mandamentos da lei. Ele mesmo disse em Mateus 5:17: Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.”

Dizer também que a lei foi dada para os judeus daquele tempo, seria o mesmo que anular os outros mandamentos, como “não matarás”, “não adulterarás”, etc. Se os evangélicos acusam a igreja católica de a alterar os 10 mandamentos; eliminando o segundo mandamento (“Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos”), e dividindo o último em dois, para que fosse permitido a adoração de imagens; fazem a mesma coisa quando dizem que o quarto mandamento foi somente para os judeus.

A verdade é que Jesus jamais revogou a lei ou disse que ela não deveria ser cumprida.

O que ocorre é que as pessoas interpretam os textos ao pé da letra ou adaptam para que supra sua crença ou conveniência, e foi justamente o que Jesus quis mostrar quando disse em Mateus 12:11 “E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará?”
Jesus não quis dizer que devemos fazer só o essencial. Ele quis dizer que muitos que a coisa não tinha de ser levada ao pé da letra a ponto de não fazermos nada que diga respeito a trabalho.

Acho que devemos ter maturidade suficiente para fazer uma boa interpretação do que Deus quis dizer em descansar no sétimo dia.
Eu não trabalho aos sábados e posso dizer que é meu dia de descanso, mesmo que faça algum trabalho pequeno em casa. Também não me sinto transgredindo a lei por isso.
Sabemos que muitas pessoas trabalham no comércio que normalmente abre aos sábados, domingos e até mesmo em feriados. Outros em linha de produção onde tem jornadas de descanso que podem cair em qualquer dia da semana. E para uma grande maioria, o sábado é justamente o dia que podem limpar sua casa, consertar alguma coisa, e até fazer um trabalho extra.
Todos precisamos trabalhar e se temos de trabalhar ao sábado, isso jamais pode ser considerado uma transgressão a lei ou mandamento de Deus. Tenho certeza que a maioria das pessoas quando está desempregada pede para que Deus abra uma porta e se Deus abriu uma porta onde é necessário trabalhar aos sábados, então isso não pode ser considerado uma transgressão a lei.

Vale observar que aqueles que guardam o sétimo dia usando o texto de Gênesis em que Deus criou o mundo em seis dias e descansou no sétimo, também não trabalham no domingo, o que seria o primeiro dia. Se observam radicalmente a lei guardando o sétimo dia, acabam quebrando essa mesma lei descansando no primeiro.

Acho que acima de tudo o ideal é ter o bom senso para saber interpretar aquilo que Deus nos diz, e principalmente, sem jugar quem pensa ou age diferente.

Anúncios

25/07/2015 Posted by | Religião | | 9 Comentários