Viagem Cultural

Dicas e opiniões sobre assuntos diversos.

UM RIO CHAMADO TEMPO, UMA CASA CHAMADA TERRA

Sinopse:

O retorno de Marianinho a Luar-do-Chão não é exatamente uma volta às suas origens. Ao chegar à ilha natal, incumbido de comandar as cerimônias fúnebres do avô Mariano – de quem recebeu o mesmo nome e de quem era o neto favorito -, ele se descobre um estranho tanto entre os de sua família quanto entre os de sua raça, pois na cidade adquiriu hábitos de um branco. Aos poucos, Marianinho percebe que voltou à ilha para um renascimento. Uma série de intrigas e de segredos familiares envolvem o pai do protagonista, Fulano Malta, sua avó Dulcineusa, os tios Abstinêncio, Ultímio e Admirança, e também as nebulosas circunstâncias em torno da morte de sua mãe, Mariavilhosa. Marianinho descobre também que o falecimento do avô permanece estranhamente incompleto.

Vale a pena conferir esse belo romance elaborado em prosa poética, cheio de mistérios e revelações surpreendentes. Amei esse livro.

Autor: Mia Couto

27/01/2012 Posted by | Livros | , , | Deixe um comentário

JUSTOS ENTRE AS NAÇÕES

Muitos conhecem a história de Oscar Schindler que foi retratada no filme de Steven Spielberg “A lista de Schindler” e no livro de mesmo nome.
Infelizmente, poucos sabem que o Brasil teve duas pessoas, que assim como Schindler, arriscaram suas vidas para salvar judeus do Holocausto: O diplomata Luiz Martins de Souza Dantas e  Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa.

Luiz Martins de Souza Dantas, nascido no Rio de Janeiro em 1876, foi responsável por conceder vistos de entrada no Brasil para judeus que fugiam do Holocausto. Concedeu mais de 500 vistos de forma “irregular”, salvando centenas de vidas.

Souza Dantas ingressou no Ministério das Relações Exteriores com 21 anos e no final de 1922 foi nomeado embaixador do Brasil na França.

No período da II Guerra, o então presidente do Brasil Getúlio Vargas, passou a incentivar a vinda de imigrantes com o objetivo de “melhorar a composição étnica do povo brasileiro” por meio da miscigenação. Portugueses, suecos e outros considerados etnicamente adequados eram bem vindos. Japoneses, judeus e outros indivíduos que não pertenciam a raça branca, não. Havia orientação do governo para que não fossem concedidos vistos nem mesmo temporários para essas raças.

Para as pessoas que fugiam do nazismo (Holocausto), obter um visto de saída da Europa era uma questão de vida ou morte, mas ao mesmo tempo algo muito difícil de conseguir uma vez que quase todos os países mantinham restrições com a entrada de refugiados.

A emissão de vistos cabia aos cônsules, e um embaixador raramente concedia visto, e só o fazia em casos excepcionais, e ainda assim era necessária uma autorização vinda do Rio de Janeiro exigindo documentos quase impossíveis de se conseguir. O objetivo era justamente impedir a concessão de vistos à pessoas “indesejáveis”.

Durante a II Guerra o governo francês se mudou para Vichy e o corpo consular brasileiro acompanhou a mudança saindo de Paris. Ao passar por cidades como Perpignan e Bordeux, Souza Dantas começou a  emitir vistos para estrangeiros, na maioria refugiados. Não seguiu nenhuma regra do governo brasileiro e não informou a origem étnica dos pretendentes. É provável que ele tenha emitido vistos mesmo antes de sua saída de Paris. A ajuda não era somente aos judeus, mas a qualquer grupo que era perseguido pelo nazismo, como os homossexuais e comunistas.

Em 12 de dezembro de 1940, Souza Dantas foi formalmente proibido de emitir vistos, porém há relatos de que refugiados estiveram com o embaixador nos primeiros meses de 1941 e receberam vistos com data retroativa.

Em 1941, o controle de vistos passou a ser incumbência do Ministério da Justiça, e incidentes envolvendo o impedimento de desembarque de refugiados no Brasil acabou por “denunciar” a transgressão de Souza Dantas.

Getúlio Vargas ordenou que se instaurasse um inquérito administrativo contra o embaixador e começou a tratar de sua substituição. Sabendo que iria ser processado, Souza Dantas mandou um telegrama ao Rio de Janeiro: “Lembro que, não havendo aqui consulado, me vi obrigado, sem perder um minuto, a assumir funções consulares para, literalmente, salvar vidas humanas, por motivo da maior catástrofe que sofreu até hoje a humanidade. Fiz o que teria feito, com a nobreza da alma dos brasileiros, o mais frio deles, movido pelos mais elementares sentimentos de piedade cristã”.

Apesar do inquérito ter sido instaurado, quando o Brasil declarou guerra ao Eixo, Getúlio Vargas ordenou o arquivamento do processo.

Em 1942, a Alemanha invadiu a sede da Embaixada do Brasil e Souza Dantas e seus subordinados foram detidos. Em 1944 foram trocados por prisioneiros alemães que eram mantidos no Brasil. Os jornais trataram o embaixador como herói.

Vargas não queria ver um diplomata processado pelo governo em tal situação, e fez com que essas homenagens sumissem da mídia e tratou de manter Souza Dantas fora de evidência. Souza Dantas morreu em Paris em 1954, mesmo ano da morte de Getúlio Vargas.

Entre os judeus salvos por Souza Dantas estava o ator e diretor teatral Zbigniew Ziembinski

Os motivos para que a história de Souza Dantas não fosse conhecida pela maioria dos brasileiros, se deve ao fato de que os que zelaram pela memória “gloriosa” de Vargas sempre evitaram qualquer referência de sua simpatia ao fascismo, e como Souza Dantas não teve filhos (foi casado com uma judia americana chamada Elisa Meyer Stern), também contribuiu para que sua história heróica fosse esquecida.
Sua história foi resgatada pelo professor Fábio Koifman e contada em seu livro “Quixote nas trevas” em 2002.

Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa, nasceu em Rio Negro, Paraná, no ano de 1908. Em 1930 casou-se com um alemão, mas separou-se cinco anos depois, indo morar na Alemanhã. Falava quatro línguas (português, inglês, francês e alemão) e foi nomeada para trabalhar no consulado brasileiro em Hambrubgo, onde chefiou a seção de passaportes.

Em 1938, Vargas convencido pela propaganda nazista de que judeus eram perigosos, decreta a Cicrular Secreta 1.127 que restringia a entrada de judeus no Brasil. Os vistos para judeus eram dados pelo cônsul e obrigatoriamente deveriam ter um “J” vermelho.

Contrariando as ordens do Itamarti, Aracy criou um jeito de ajudar os judeus. Como despachava diretamente com o cônsul geral, ela colocava os vistos entre as papeladas para ele assinar, deixando de colocar o “J” vermelho que os identificava. Muitos judeus vinham de outras cidades para que seus vistos pudessem ser emitidos, e era necessário provarem que moravam na região. Aracy também “conseguia” os comprovantes.

O cônsul adjunto era o famoso escritor Guimarães Rosa, que soube do que ela fazia e apoiou sua atitude. Isso contribuiu para que ela intensificasse esse trabalho livrando muitos judeus da morte. Assim como Souza Dantas, Aracy e Guimarães Rosa ficaram sob custódia do governo alemão quando foram rompidas relações diplomáticas entres os dois países, em 1942.
Foram trocados por diplomatas alemães. Casaram-se no México (ambos eram separados e no Brasil não havia ainda divórcio).

Em 1985 Aracy viajou para Jerusalém para inaugurar uma placa comemorativa em um bosque que leva o seu nome. Foi a sua última viagem internacional.

Aracy sofria de Mal de Alzheimer e morreu de causas naturais no dia 3 de março de 2011 em São Paulo, aos 102 anos. Para ela, seu marido ofereceu o seu famoso livro “Grande Sertão: Veredas”.

Israel possui um memorial oficial para lembrar das vítimas do Holocausto, chamado Yad Vashem.
Nesse memorial os não judeus são homenageados com o prêmio “Justos entre as Nações”. Para receber tal honra era necessário três requisitos: arriscar a própria vida, arriscar cargo e posição social, e salvar pessoas.

Aracy de Carvalho Guimarães Rosa e Luiz Martins de Souza Dantas são os únicos brasileiros homenageados como “Justos entre as Nações”.

http://www.quixotenastrevas.com.br

18/03/2011 Posted by | Livros, Preconceito | , , | 3 Comentários

O HOMEM E O MUNDO NATURAL

Sinopse:

Como foi vivida a natureza nos trezentos anos que inauguram a modernidade? Propondo questões novas a uma documentação vasta, Keith Thomas dissipa o preconceito de que, antes da industrialização, o homem dava mais valor à natureza. Ao contrário, somente quando a flora e a fauna já foram dizimadas elas passam a ter o nosso gosto e apreço. É esta mudança que Thomas analisa aqui: como se passa da violência sobre o mundo natural para um vínculo baseado na simpatia. Tal processo demorou a se realizar, e certamente não está completo. Quem tem simpatia pelo verde vê todo dia não apenas a destruição da natureza devida à ambição e ao investimento capitalista, mas também a depredação pelo mero prazer de destruir. Se queremos conhecer o que está nos primórdios da preocupação ecológica, se queremos entender melhor o que é amar (ou não) a natureza, e que implicações políticas e sociais isso traz, este livro é a melhor porta de acesso.”

23/08/2010 Posted by | Livros | , , | Deixe um comentário

ESCUTA QUE EU TE CONTO

Viver é compartilhar a alegria e a descontração. Contar histórias e desenvolver brincadeiras com as crianças nos proporcionam momentos de grande felicidade.  Neste “Escuta que eu te conto”, a idéia foi proporcionar estes momentos com atividades simples para diversas idades.

 Além de educar e conscientizar sobre sentimentos de respeito e amor, proporcionar também aprendizagem através de péquenas histórias. Quis contar com naturalidade alguns segredos desde como cuidar e ser cuidado, como compreender a importância de bichinhos de estimação para o crescimento saudável, assim como valorizar a si mesmo, com relação a alimentação, higiene e beleza interior. Espero que aproveitem para relembrar inclusive de brincadeiras simples que andam esquecidas. Escuta Que Eu Te Conto é uma obra infanto-juvenil da Professora Cida Martins, foi lançado em 2009 pela Editora Terra Extrema e é ideal para entreter e ensinar crianças e jovens, além de trazer conceitos sobre cidadania e sexualidade. O livro pode ser adquirido por apenas R$15,00. 

http://www.cidamartins.com.br/

15/03/2010 Posted by | Livros | , | Deixe um comentário

CAIXA DE GIZ

Viver estas emoções foi bom, escrever o livro emocionante, mas contatar seus personagens para autorização, promoveu-me momentos nunca sentidos e de um valor muito grande para minha vida, pois verificar como eles estão no momento, revê-los, conhecer seus familiares foi algo excepcional e espero que os relatos aqui contidos possam tocar o coração das pessoas e fazê-las valorizar sua própria vida, sua própria história que é única e uma dádiva de Deus.

Caixa De Giz é a mais recente obra da Professora Cida Martins, foi lançado em 2006 pela Editora Terra Extrema e nele além de conter emocionantes Histórias vividas e conhecidas pela autora ainda contém projetos e dinâmicas aplicados e criados pela Professora Cida. O livro custa R$15,00 e é ideal tanto para quem quer aprimorar seus conhecimentos profissionais como educador quanto para qualquer pessoa que queira aprender a viver melhor através das experiências contidas neste livro.

www.cidamartins.com.br

A autora trabalhou comigo por vários anos, a Professora Cida Martins tem o dom de ensinar, é competente e muito querida por seus alunos. Nesses oito ou dez anos que trabalhamos juntas eu pude acompanhar parte de sua tragetória profissional, aprendi muito com ela, trocamos ideias, tocamos projetos e compartilhamos várias experiências no Panoca (E.E. Paulo Novaes de Carvalho), a maioria delas com resultados maravilhosos nos dando a confirmação que vale a pena desempenhar bem nosso papel de educadora e não desistir nunca de nossos objetivos.

Hoje, a Cida Martins já está aposentada, mas quem disse que essa mulher pára? Além de professora, é mãe, esposa, escritora e  palestrante.  Convido a todos que queiram saber um pouco mais sobre a realidade da educação em nosso país, ler e se emocionar com o Livro Caixa de Giz.

28/02/2010 Posted by | Livros | , , , , | Deixe um comentário

ORIENTE MÉDIO

Dificilmente se consegue ver um noticiário internacional onde não mostre um conflito no Oriente Médio. Os conflitos nessa região parecem serem tão comuns que não nos surpreendem mais. E são muito mais antigos do que se possa imaginar.

Uma passagem bíblica nos conta a história de Abraão e Sara. Eles viveram entre os séculos XXI e XVIII a.C. e não tinham filhos. Deus havia prometido a Abraão que ele seria pai de uma grande nação, tão numerosa como as estrelas do céu ou a areia da praia. Porém, como Abraão já tinha oitenta e seis anos, Sara deu sua serva Agar, para que ele tivesse filhos com ela. Mas esse não era o plano de Deus, pois Deus daria o filho a Abraão com sua mulher Sara. Agar deu a luz a um menino chamado Ismael. Quando tinha a idade de cem anos, Sara engravidou e deu a luz a outro menino que se chamou Isaque.

Sara era a esposa e Agar a escrava, porém ambas  eram mães dos filhos de Abraão. Por motivos óbvios, Sara e Agar não tinham um bom relacionamento.  Ismael tornou-se o pai do povo árabe e Isaque dos judeus. Por imposição de Sara, Abraão expulsou Agar. Assim, dava-se início ao primeiro conflito Árabe x Judeu na região.

Além disso a região é o berço das três maiores religiões:  Judaismo, Cristianismo e Islamismo. Esse é outro motivo que contribui muito para a instabilidade na região. Mas os conflitos não se limitam somente a Árabes,  e Judeus. Existem conflitos entre os xiitas, sunitas, curdos, palestinos, Irã , Iraque, Líbano, Kwait e outros.

Os países que compõem o Oriente Médio são o Afeganistão, Arábia Saudita , Bahrein, Chipre, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Irã, Iraque, Israel, Jordânia,  Kuwait, Líbano, Palestina, Omã, Qatar, Síria e Turquia. Muitas pessoas incluem ainda Afeganistão e Chipre.

Para saber mais sobre a região, seus conflitos, e também sobre sua economia e riquezas eu indico o livro “Oriente Médio” de Leandro Karnal.

É um livro com apenas 72 páginas, mas bem objetivo onde se pode conhecer e entender mais sobre os países que compõem o Oriente Médio.

20/02/2010 Posted by | Livros | , , , | Deixe um comentário

OS FILHOS DA PROMESSA

capa

Saber sobre o futuro sempre foi um desejo do homem. Durante muito tempo as pessoas sempre tentaram interpretar as profecias de Daniel, do Apocalipse, de Nostradamus, dos Maias e tantas outras que pudessem indicar um caminho do que seria o futuro da humanidade. Mas interpretar profecias pode ser um caminho díficil  para curiosos ou leigos.
O livro de Daniel  sempre foi muito usado, principalmente por religiosos para se saber para onde “caminha a humanidade”. Mas decifrar os segredos desse livro também não é uma tarefa das mais fáceis. Basta ver a quantidade de interpretações existentes para ver que muitos se aventuraram a interpreta-lo ou sem conhecimento para tanto, ou com o objetivo de fazer valer a sua crença.

Sugiro a leitura do livro Os Filhos da Promessa, onde o autor busca uma intrepretação bem segura para o livro de Daniel, sem se basear em qualquer religião.
Profecias sobre a estátua de metal, o chifre pequeno, as 2300 tardes e manhãs, as setenta semanas de Daniel, tempo um tempo e metade de um tempo,  os 1260 dias, 1290 dias, 1335 dias,  são comentadas e explicadas versículo por versículo para que não haja dúvidas sobre nenhuma delas.

Esse livro está disponível para download gratuitamente no formato pdf (É necessário acrobat reader para leitura).  Clique no link, faça donwload e deixar seu comentário após a leitura.

OS FILHOS DA PROMESSA

08/11/2009 Posted by | Livros, Religião | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

A CABANA

a cabana

Sinopse:

A filha mais nova de Mackenzie Allen Philip foi raptada durante as férias em família e há evidências de que ela foi brutalmente assassinada e abandonada numa cabana. Quatro anos mais tarde, Mack recebe uma nota suspeita, aparentemente vinda de Deus, convidando-o para voltar áquele cabana para passar o fim de semana. Ignorando alertas de que poderia ser uma cilada, ele segue numa tarde de inverno e volta a cenário de seu pior pesadelo. O que encontra lá muda sua vida para sempre. Num mundo em que religião parece tornar-se irrelevante, “A Cabana” invoca a pergunta: “Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?” As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele.

joaninha William P. Young – Edirota Sextante

 

06/11/2009 Posted by | Livros | , , , | Deixe um comentário

AS BRUMAS DE AVALON

AVALON
A Senhora da Magia, A Grande Rainha, O Gamo-Rei e O Prisioneiro da Árvore são os quatro volumes que compõem As Brumas de Avalon – a grande obra de Marion Zimmer Bradley -, que reconta a lenda do rei Artur através da perspectiva de suas heroínas.
Guinevere se casou com Artur por determinação do pai, mas era apaixonada por Lancelote. Ela não conseguiu dar um filho e herdeiro para o marido, o que gera sérias conseqüências políticas para o reino de Camelot. Sua dedicação ao cristianismo acaba colocando Artur, e com ele toda a Bretanha, sob a influência dos padres cristãos, apesar de ser juramento de respeitar a velha religião de Avalon.
Além da mãe de Artur, Igraine e de Viviane, a Senhora do Lago que é a Grande Sacerdotisa de Avalon, uma outra mulher é fundamental na trama: Morgana, a irmã de Artur.
Ela é vibrante, ardente em seus amores e em suas fidelidades, e polariza a história com Guinevere, constituindo-se em a sua grande rival. Sendo uma sacerdotisa de Avalon, ela tem a Visão, o que a transforma em uma mulher atormentada.
Trata-se, acima de tudo, da história do conflito entre o cristianismo, representado por Guinevere, e da velha religião de Avalon, representada por Morgana.
Ao acompanhar a evolução da história de Guinevere e de Morgana, assim como dos numerosos personagens que as cercam, acompanhamos também o destino das terras que mais tarde seriam conhecidas com Grã-Bretanha.
As Brumas de Avalon evoca uma Bretanha que é ao mesmo tempo real e lendária – desde as suas desesperadas guerras pela sobrevivência contra a invasão saxônica até as tragédias que acompanham Artur até a sua morte e o fim da influência mítica por ele representada.
Igraine, Viviane, Guinevere e Morgana revelam através da história de suas vidas e sentimentos a lenda do rei Artur, como se ela fosse nova e original.

A saga é muito contagiante, vale a pena conferir!

Autor: Marion Zimmer Bradley

19/10/2009 Posted by | Livros | , , , , , , , | Deixe um comentário

NUNCA DESISTA DE SEUS SONHOS

NUNCA DESISTA.SINOPSE:

Com mais de um milhão de livros vendidos sobre temas como crescimento pessoal, inteligência e qualidade de vida, o psiquiatra Augusto Cury debruça-se neste livro sobre nossa capacidade de sonhar e o quanto ela é fundamental na realização de nossos projetos de vida. Os sonhos são como uma bússola, indicando os caminhos que seguiremos e as metas que queremos alcançar. São eles que nos impulsionam, nos fortalecem e nos permitem crescer. Se os sonhos são pequenos, nossas possibilidades de sucesso também serão limitadas. Desistir dos sonhos é abrir mão da felicidade porque quem não persegue seus objetivos está condenado a fracassar 100 % das vezes. Analisando a trajetória vitoriosa de grandes sonhadores, como Jesus Cristo, Abraão Lincoln e Martin Luther King, Cury nos faz repensar nossa vida e nos inspira a não deixar nossos sonhos morrerem.

Editora: Sextante / Gmt

Esse livro é ótimo. O autor consegue como ninguém desenvolver vários assuntos com muita clareza, objetividade e emoção. Talvez seja essa a grande sacada desse livro. Vale a pena conferir.

13/10/2009 Posted by | Livros | , | Deixe um comentário