Viagem Cultural

Dicas e opiniões sobre assuntos diversos.

DEUS SEGUNDO SPINOZA

“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.

Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.

Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau. O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria.

Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho… Não me encontrarás em nenhum livro! Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.

Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz… Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio.

Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?

Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez?

Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade?

Que tipo de Deus pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.

Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti.

A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.

Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre.

Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro. Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.

Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho.

Vive como se não o houvesse.

Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir.

Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei. E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não.

Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste… Do que mais gostaste? O que aprendeste?

Pára de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar.

Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti.

Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.

Pára de louvar-me!

Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja? Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam.

Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.

Te sentes olhado, surpreendido?… Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim.

A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas.

Para que precisas de mais milagres?

Para que tantas explicações?

Não me procures fora!

Não me acharás.

Procura-me dentro… aí é que estou, batendo em ti.

Baruch Spinoza.

Anúncios

15/10/2014 Posted by | Poema, Poesia & Cia | , | 5 Comentários

RAÍZES

Raízes que crescem através do tempo,

De forma apical ou ramificada

Sugam da terra mãe o essencial:

Água e sais minerais…

Raízes que vivem na função de viver,

Resistem aos reagentes naturais,

Sol, chuva, vento, dia e noite;

Além do peso maciço da estrutura

Caule, tronco, folhas e flores…

Raízes que vivem…

Negras raízes do continente africano,

Raças rígidas como a natureza,

Desconhecidas da penicilina e antibióticos.

Raízes dos filhos da noite, batizados pela lua

E pelo esplendor das estrelas…

Pele escura, alma pura,

Filhos do sol noturno…

Tenazes raízes do bloco oriental,

Raças que lutam e se crucificam;

Pintando de vermelho sua existência

Filhos do trabalho e da terra,

Irmãos do machado, da foice, do arado…

Viver pela nação, liberdade por condição…

Raízes da insistência…

Velhas raízes europeias,

Fertilizados no útero dos iluministas,

Berço da democracia utopia…

Acasalados pela necessidade da vida

Procriam as belas artes, a música, a vida.

Raízes de mãos calejadas…

Desejadas raízes da América do norte,

Raças das juventudes transviadas…

Da evolução que não mede o tempo,

Do tempo que não para ao viver.

Amaldiçoado o preconceito racista

Figurado no jogo dos opostos.

Onde o branco e preto não são palpáveis…

Raízes das contradições.

Benditas raízes de nossa américa,

Raças exploradas e submetidas…

Ritimadas como máquinas produtoras

Fazem de suas vidas um carrocel,

Que sempre volta a sua origem…

Pobres fornecedores ricos,

Raízes dos colonizados…

Gloriosas raízes dos antepassados,

Raças projetoras da história:

Einstein, Engels, Freud e Von Braun,

Hitler, Lenin, Luther King e Lutero,

Marx, Mussolini, e Stalin…

Raízes de personagens que lutaram

Para que hoje se conte uma história.

Raízes dos mitos…

Raízes da esperança aqui entre nós…

Figuradas no dia a dia de cada pessoa

Surgem novos pretextos para o amanhã…

Raízes de uma nova história??

O futuro há de vir…

PEDRO DE ALCÂNTARA AMORIM DE SOUZA

14/04/2012 Posted by | Poema | 1 Comentário

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Você sabia que no dia 15 de julho é comemorado o Dia Internacional do Homem? Eu mesma fiquei sabendo a pouco tempo, por que será?

Durante o século XX a mulher alcançou direitos consideráveis, onde talvez naquele momento houvessem motivos para se comemorar algo.

Nos dias atuais, acredito que o dia 8 de março serve mais para vender flores, caixas de bombons e outros pequenos mimos, porque a realidade da mulher de uma forma geral e da brasileira não é nada satisfatória:

  • É alto o índice de crimes passionais cometidos contra a mulher;
  • Desempenhando a mesma função no trabalho, ganha cerca de 30% ou 40% menos do que os homens;
  • Vive em uma sociedade machista e hipócrita, quando toma cercas atitudes “ditas como masculinas”, sofre as conseqüências sendo discriminada em sociedade;
  • Apanha e se cala porque muitas vezes tem medo do companheiro porque sabe que as autoridades não podem lhe dar a segurança necessária para resguardar sua vida e de seus filhos, haja vista o número de casos de violência contra a mulher que ficam na impunidade;
  • A violência doméstica contra a mulher muitas vezes começa quando ela ainda é uma menina, sendo estuprada pelo pai, padrasto, avô, etc.;
  • Tráfico internacional de mulheres para a prostituição;
  • Assédio sexual no trabalho, entre outros.

Por tantos motivos citados acredito que hoje o que resta é indignação, penso que ser mulher no Brasil não é tarefa nada fácil, porém, imagino que a situação seja muito pior se esta for negra, nordestina e pobre.

Esse lindo poema é homenagem singela para todas as mulheres que lutam por dignidade, liberdade e igualdade.

Meu Nome é Mulher

Meu nome é mulher
No princípio eu era Eva
Nascida para a felicidade de Adão
E meu paraíso tornou-se trevas
Porque ousei libertação.

Mais tarde fui MARIA
Meu pecado remiria
Dando à luz aquele
Que traria a salvação
Mas isto não bastaria
Para eu encontrar perdão!

Passei a ser AMÉLIA
A mulher de verdade
Para a sociedade.
Não tinha a menor vaidade,
Mas sonhava com igualdade.

Muito tempo depois decidi:
não dá mais.
Quero a minha dignidade,
Tenho meus ideais!
Mas o preconceito atroz
Meus 129 nomes queimou.
Então, o mundo acordou
Diante da chama lilás!

Hoje, não sou só esposa ou filha
Sou pai, mãe, arrimo de família,
Sou ourives, taxista, piloto de avião,
Policial feminina, operária de construção!
Ao mundo peço licença,
Para atuar onde quiser
Meu sobrenome é COMPETÊNCIA
O meu nome é MULHER!

Autora: “Pérola Neggra”
Sd Fem PM Fátima Aparecida Santos de Souza, do 30º BPM/
MAUÁ .S.P.

07/03/2010 Posted by | Poema, Preconceito | , , | 2 Comentários

QUERO AGRADECER PELO ASSALTO

Matthew Henry é um conhecido especialista em estudos bíblicos.  Certa vez, quando voltava da universidade em que lecionava, foi assaltado. Naquela noite, ele escreveu a seguinte prece:

“Quero agradecer, em primeiro lugar, porque nunca fui assaltado antes. “

” Em segundo lugar, porque levaram minha carteira e deixaram minha vida.”

“Em terceiro lugar, porque, mesmo que tenham levado tudo, não era muito.”

“Finalmente, quero agradecer porque fui aquele que foi roubado e não aquele que roubou.”

Fiquei indignada e me senti muito impotente quando entraram na casa dos meus pais (jan.2009) e levaram quase tudo, ver a casa do avesso e não saber nem por onde começar gerou um grande transtorno para toda a família, o sentimento de revolta é muito grande, mas quando a situação é observada por outro ângulo, agradeço sim, porque meus pais não estavam em casa (havia grande probabilidade do meu pai reagir), porque os objetos roubados aos poucos foram sendo substituídos, e, principalmente porque eles estão vivos!

16/01/2010 Posted by | Poema, Religião | , , | Deixe um comentário

A GOTA DE SANGUE

A QUEDA PARA O ALTO

Eu decaí, eu persisti
tentei por todos os meios ser forte.
Lutei contra o tempo,
chorei em silêncio
gritei seu nome ao vento.
Sou filho da gota
fui templo da miséria
meu pai um perdido
minha mãe, a megera.
Cresci vendo prantos,
dormi em meio à mata
chorei gotas sangüíneas
sou o pecado, sou a traça.
Eu ouvi um grito de desespero,
vi a lenta corrupção,
vi o olhar do corruptor,
vi uma vida na destruição
eu vi o assassinato do amor.
Tentei, venci, a vitória conquistei
porém um dia faleci.
Hoje estou em sua lembrança
eu sou sua alma oculta
e serei sua esperança.

Anderson Herzer

31/10/2009 Posted by | Poema | , , , | Deixe um comentário